Discurso Formatura 2009

13 02 2009

No dia 23 de janeiro aconteceu a festa de formatura da 8ª turma de Engenharia Elétrica da UEL. O orador foi o senhor ex-presidente da 3E-UEL Felipe Falleiros, a quem coube a responsabilidade de homenagear a comissão de formatura, os professores, os amigos e ainda fazer o discurso de orador. Foi um discurso longo é verdade, mas que fugiu do lugar comum e foi FERA. Para os que não estiveram presentes na festa e para os que estiveram mas não conseguiram entender o que ele dizia, segue abaixo o discurso na íntegra.

Colegas formandos, pais, professores, amigos e convidados.
Primeiramente, gostaria de agradecer a presença de todos nesta festa de comemoração da colação de grau da 8ª turma de Engenharia Elétrica da Universidade Estadual de Londrina.

Com certeza não foi fácil ver a comissão de formatura ir de 5 pessoas para apenas 2 e quando a responsabilidade caiu no colo destes dois bravos colegas eles fizeram bonito, e é por isso que eu gostaria de começar este discurso agradecendo imensamente nossos colegas, mais do que isso, nossos bons amigos, Luciano “Pexe” Taho e Luis “Toco” Nakamura.

Agradeço também em nome de toda a turma a todos os professores do curso de Engenharia Elétrica, pelos bons exemplos que nos serviram de inspiração e aos professores que nos deram péssimos exemplos, os quais, tenho certeza, tomaremos imenso cuidado para não os repetir.

Homenageamos hoje também, os professores que nossa turma escolheu para nos representar. Com sua pouca idade e imenso conhecimento, demonstrou dinamismo em suas aulas e uma paixão por projetos que contagiou toda a turma, transformando as aulas de laboratório em algo aplicável, interessante e simples. Por essas e por outras, é que homenageamos hoje como Patrono de nossa turma, o professor Francisco Granziera Jr.

Trabalhando sempre com seriedade, profissionalismo e se empenhando em dar boas aulas, possuidor de uma excelente didática e também contador de piadas quase sempre sem graça, mas que quebram o gelo da aula e as deixam muito mais interessantes, homenageamos hoje com o título de Paraninfo, o Professor Ernesto Fernando Ferreyra Ramírez.

Por último e não menos importante, o professor que nos mostra diariamente que conhecimento não se mede na quantidade de palavras bonitas e difíceis faladas em sala de aula, com seu jeito cômico de se expressar, peça rara no Departamento de Engenharia Elétrica, e com o título de Nome de Turma, homenageamos o Professor Leonimer Flávio de Melo.

Chegamos finalmente ao tão desejado momento. Não foi fácil. Durante cinco, seis, sete e até oito anos, fizemos algo que poucos que entram na faculdade hoje fazem de verdade: Estudamos.
Claro, alguns mais, outros menos, mas a verdade é que neste curso, levar com a barriga é uma coisa que não dura por muito tempo. Inevitavelmente, hora ou outra, você acaba tendo que estudar.
Poucos sabem o que é passar uma madrugada estudando e não tem idéia do que é passar várias madrugadas tomando café, pó de guaraná, tereré, comendo desde club social até o famigerado X-Laboratório do água viva, com muita maionese verde, obviamente.

Durante o ensino médio, poucos que entraram nessa turma não eram destaques em suas salas de aula. Alguns seguiram o ritmo e continuaram tirando boas notas. Mas é minoria aqueles que nunca pegaram uma prova de cálculo, eletromagnetismo ou circuitos eletrônicos e não esbarram em um zero ou algo ridiculamente próximo a isso. É nessa hora que você desce do seu pedestal alcançado no ensino médio e vê que você não é tão fodão quanto você achava. Felizmente pra mim esta ilusão durou menos de três meses, para alguns demorou um pouco mais, mas aconteceu.

Essa turma deveria receber uma medalha honra ao mérito pelas dificuldades encontradas. Sair do saudoso colegial e dar de cara com o professor Taufik e seu jeito bizarramente confuso de dar aula. Depois Marcelo, Albo e Castaldo duas vezes, sem esquecer o golpe inesperado do professor Hélio, vulgo Charles Brownson. Ainda tivemos mais uma dose de Taufik junto com Treviso e seu método de correção de provas absurdo. E para terminar o curso, porque não José Alexandre com suas provas irrealizáveis em tão pouco tempo e seu discurso de “o problema de vocês não me interessa”.

Dos 40 ingressantes na turma de 2004, se formam hoje apenas 14. É a mistura destes alunos que nunca conheceram o amargo sabor de uma reprovação com outros que não tiveram a mesma sorte ou competência, que estamos comemorando hoje.

No começo, esta turma dividia-se claramente entre os alunos da frente e os do fundão, ou mais precisamente, os que estudavam e os que levavam o curso de modo mais leviano.
Demorou até que começássemos a nos unir, é verdade, mas aconteceu. E foi ótimo. Os vagabundos do fundão finalmente começaram a estudar, e os estudiosos da frente começaram a ir em churrascos e barzinhos. Todos saímos beneficiados desta experiência, afinal de contas, não adianta nada ser bem relacionado, saber lidar com pessoas, se não tiver um mínimo de conhecimento. E obviamente, só estudar e não saber se relacionar também é prejudicial à carreira e a vida como um todo.

Fazemos parte hoje de uma pequena elite, que se forma em bons cursos superiores em boas universidades públicas. Antes de deixarmos nossos governantes transformarem as universidades públicas em uma sucateada piada de mal gosto, temos o poder de fazer algo.

Infelizmente, assim como aconteceu ao longo dos anos com os colégios públicos que eram extremamente superiores aos particulares e se tornaram uma sucateada piada de mal gosto do nosso governo, nossas universidades também vêm sendo massacradas por consecutivas administrações irresponsáveis do governo que pouco se importam com a qualidade do ensino e mesmo dentro da nossa universidade vemos descaso com a eficiência e competência e apologia a truculência, desorganização e partidarismo político do melhor tipo populista que tanto nos prejudica, aquela famosa “camaradagem”. Me enoja ver este quadro, e sei que a maioria de vocês também.

Mas sempre existe e existirá esperança de que as coisas sejam feitas da maneira correta enquanto houver jovens se formando com pensamento de mudança.

É fato que esta turma de engenharia nunca foi das mais contestadoras, polêmicas ou segura de si, mas passou da hora de acordar. Alguns se engajaram no trabalho no CAEL, nosso centro acadêmico, no CREA Jr ou na 3E, nossa empresa júnior e até em projetos sociais de extensão da UEL. Os que não participaram destas atividades por impossibilidade, fica o meu lamento. Aos que ficaram dormindo até agora, por favor, acordem.

Nosso planeta não está mudando mais. Ele já mudou! E para que haja o desenvolvimento sustentável da humanidade, a sociedade depende daqueles que dominam a arte de usar a técnica para realizar aquilo que a imaginação humana concebe. Estou falando de nós, engenheiros. É para isso que estamos aqui.

O mundo assistiu, quase como se fosse a final da copa do mundo, a posse do primeiro presidente negro dos estados unidos. E por quê? Será que um homem só, com o poder quase unicamente representativo que tem um presidente, pode fazer tanta diferença assim? Dificilmente.
Mas porque ele representa uma mudança no sistema, uma mudança no consciente coletivo, uma quebra de paradigma na humanidade como um todo. E dos mais céticos aos mais crentes, todos sabem que o mundo chegou a um momento crítico onde as mudanças não são mais necessárias e sim obrigatórias. Que momento melhor para se criar e enxergar oportunidades de mudança do que uma crise como a crise financeira que estamos vivendo?
Pois bem, ao contrário do que dizem os políticos, a crise chegou sim no Brasil e vai ficar, provavelmente não tão devastadora quanto nos EUA ou Europa, mas já foi causadora de desempregos em massa, fechamento de grandes empresas e até fusões milagrosas.

O planeta vive uma necessidade de revolução, reinvenção, readequação e criação. Só não percebe isso quem está com a cabeça num buraco como um avestruz.

Bom, eu posso ser jovem, posso ter pensamentos que os mais experientes consideram tolos de querer mudar o que está errado, mas se eu, ou melhor, se nós não pensarmos assim, então a sociedade está com sérios problemas.
Acreditem na força de uma idéia, acreditem nesta mudança em massa, usem a inteligência dada por Deus a vocês e o conhecimento adquirido ao longo deste curso para mudar a sua realidade. E não pensem que será tentando um projeto megalomaníaco que mudaremos o mundo. São pequenas ações, pequenos gestos, que seja melhorando a vida apenas ao nosso redor, conseguiremos mudar o caminho da sociedade SIM.

O colégio e a universidade brasileira tradicional forma empregados e não empregadores. Somos hoje, como engenheiros recém-formados, uma espécie de funcionários “top de linha” da sociedade. Mas, vamos nos contentar com apenas isso? Ser mais um empregado, mais um passivo na sociedade? Independente disso, o pensamento de mudança e melhoria deve seguir aonde quer que formos, seja sendo o melhor funcionário de uma empresa, o melhor professor e pesquisador de uma universidade, ou um excelente empresário, temos que dar nosso melhor e aqui, neste salão, eu não consigo ver para nenhum dos formandos, um caminho que não seja de sucesso, realização profissional e o que é muito mais importante, de realização pessoal.

Por algumas vezes, teremos medo do que nos aguarda. No entanto, lembrem-se que coragem não é a ausência do medo, e sim, a capacidade de agir mesmo morrendo de medo.

É hora de fazermos a diferença, de nos tornarmos protagonistas de um mundo melhor, de enfrentarmos os obstáculos da vida de peito aberto, cabeça erguida e não nos importar com os socos que levaremos ao longo do caminho. Por mais improvável que seja o local de onde eu tirei esta frase que falarei agora, ela significou e significa muito pra mim. Então, diretamente do filme de Sylvester Stallone, intitulado “Rocky Balboa”, lembrem-se: “Ninguém nos bate tão forte quanto a vida. Mas não se trata do quão forte você pode revidar, mas sim, do quanto você agüenta apanhar e continuar seguindo em frente”.

Muito obrigado, bom trabalho e que Deus no ajude.

Felipe Ferreira Falleiros
Orador da Formatura da 8ª Turma de Engenharia Elétrica da UEL

About these ads

Ações

Information

23 responses

17 02 2009
fffalleiros

JESUS! Que discurso Gigante! AUhAUhAUhAUH!

Mas foi foda… se a mulherzinha da formatura tivesse falado a situação em que eu iria proferir o discurso, eu teria cortado uns 15 parágrafos, mas td bem… Tá valido!

Abraços fiote!

17 02 2009
Hugo

Ficou da hora esse discurso, hein. Curti.

18 02 2009
Fabinho Cs

BRUTO PORRA!

18 02 2009
Dirceu

Muitooo bom mesmo!

Parabéns!!!

18 02 2009
Adilson Fukahori

Ficou muito bom esse discurso!! Parabéns ae Falleiros

28 10 2009
Poliana

Falleiros, que tudo esse discurso!, vou ser oradora da turma na nossa formatura do 3º ano do ensino médio e, estou tentando né!…
beijOs!

8 11 2009
Shayra

Naum era o tipoo de textoo que queria
Tá muitoo grande.
E capengaa

14 06 2010
Isabel

Meu muito legal seu discurso, ele representa a contemporaneidade e reflete as atuais necessidades na construção de um mundo melhor e mais justo.
Parabéns!! Adorei!!

27 08 2010
helio jr

cara muito bom garnde mais nos prende de uma maneira q num tem como explicar ate o fim muito bom e oq eu tava procurando rapaz de atetide
parabenssssssss

11 09 2010
margarete carneiro da costa

Muito legal seu discurso, mas não posso nem pensar em usá-lo, minha universidade quer ler o dircurso antes, pra vetar lógico!!! a liberdade de expressão foi arrancada de mim em pleno 2010…parabéns

2 12 2010
murilo

tah uma posta essa porra de texto
inventa uma coisa melhor sua bixinha

7 12 2010
Lucas

Muito bom esse discurso.Muito FEra ele me inspirou para o discurso do oarador da truma da Oitava Serie.Porque eu sou o orador.eu li tudo muito bom

14 12 2010
suelen

Nooooossa seu discursi é enorme…demorei um tempão para ler …mas tudo bem seu discurso está lindo.Parabéns!

17 12 2010
Lylous

Cara… que discurso agressivo!
A vida lhe ensinará que com o mesmo fervor que julgas – uma hora será julgado.
Abraço!

1 01 2011
MALU

COMO TEM GENTE INVEJOSA NESSE MUNDO!!! SEU discurso é inteligente.Tem estilo.parabens!

1 01 2011
marissa

Seu discurso é mto bom! Tem conteúdo e estilo.Parabéns!

9 02 2011
Ney

Nota 4. Pouco criativo, muito pessoal, opiniões muito focadas, cita nomes e obrigatoriamente exclui vários outros tão importantes quanto para a ocasião…
Fraco.

31 05 2011
Josuel

Que b**** esse discurso! Boiou d+++ !! hahahaha

15 09 2011
tiago

No Brasil é assim se vc diz a verdae muita gente naum concorda.. gostei do discurso0 e usarei como base!!!

21 11 2011
Ana Paula

fiko uma merda…
odiei…
q porcaria!
kkkkkkkkkkkkkkkkk

22 11 2011
Catota Melecada

nem li U-U

22 11 2011
Catota Melecada

OOOI se tu tivesse feito MIIIIIIL vezes menor ate que eu poderia ler, mais nao tenho paciencia kk . U_U que quiéeee ?

23 06 2014
Johne174

This event occurred rigt after the time Mario return to the Mushroom Kingdom so it had to take place after gakdddkgegdg

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: